Aos gays cristãos com carinho

Foto por Matt Chase, via The New York Times

Quem me acompanha viu a coisa toda. Eu questionando a tradição cristã, eu saindo do ministério, depois deixando a Igreja, e ultimamente questionando a existência de Deus. Para muitos leitores, minha jornada parece assustadora, e eu pensei em consolar vocês. Especialmente os homossexuais.

De vez em quando, um cristão ou uma cristã me escreve porque se identifica com o que conto por aqui. E eles têm a coragem de dizer que sentem medo. De aceitar sua orientação e se afastar de Jesus por consequência. De adotar uma abordagem diferente da Bíblia e acabar desobedecendo a Deus. De abraçar sua sexualidade e terminar no pecado ou até no inferno.

Quero dizer que, sim, você e eu estamos em momentos muito diferentes da nossa caminhada. Mas isso não significa que eu não entenda os seus medos. Conheço de perto todos os que listei. Antes de chegar aonde estou, fiz as mesmas perguntas que você e sofri bastante. Então, não desconsidero nem desrespeito a sua fé. Eu entendo o que você está enfrentando e suas dúvidas e temores.

Sabe, desconstruir é um processo com características definidas, mas sem fins definidos. Nem todo mundo que desconstrói toma o mesmo rumo. E é isso que eu quero que você entenda hoje. Não é porque nossas jornadas têm muito em comum, que você está fadado a crer da mesma forma que eu. Desconstruir leva algumas pessoas a abandonar a religião, mas não todas. O propósito da desconstrução não é o fim da fé, e sim o fim do medo.

Algumas pessoas se tornam cristãs mais fervorosas depois de desconstruir. Outras afirmam que a desconstrução foi seu caminho para um relacionamento mais profundo e feliz com Deus. No mundo todo, existem pessoas que passaram por desconstrução e mantiveram sua fé em Deus e na Bíblia. Assim como existem muitos gays cristãos no mundo inteiro. Você não está sozinho.

Talvez hoje eu seja a única pessoa falando de desconstrução com você. Mas eu não espero que aceite tudo que eu digo. Apenas o que liberta você. E quero de todo coração que as partes do meu discurso que não se encaixam em você não sejam motivos para rejeitar informações que podem fazer você mais livre e feliz.

Algumas coisas que eu trago a vocês são opiniões e experiências pessoais. Tudo, claro, passa pela minha interpretação e visão de mundo. Mas também coloco na mesa questões fatuais, científicas, informações que não são do campo da fé, mas da lógica. E não para convidar você a crer como eu, mas para encorajar você a crer de uma maneira melhor. Sua. Só que saudável e esclarecida.

Quero que entenda. Os fatos que eu publico aqui não são o baseado que vai empurrar você escada abaixo pelos degraus das drogas pesadas até a dependência do crack. Você não precisa rejeitar informações novas e diferentes do que aprendeu a vida toda achando que posso transformar você num ateu, desviado, herege, e qualquer coisa do tipo. Como cristão, quero que se lembre que Deus Pai deve estar encarregado do destino da sua alma, que ninguém pode arrancar você das mãos de Jesus, e que o Espírito Santo guia seus filhos a toda a verdade. Então meu conselho para você é bíblico: retenha o que é bom e descarte o resto. Mas não deixe o medo impedir você de ser livre, porque foi para a liberdade que o Filho de Deus chamou você.

Quero recomendar que você acompanhe meus amigos Marília e Gustavo no Instagram. Pode ser importante para você ouvir outras vozes de pessoas em desconstrução que, diferente de mim, se consideram cristãs cheias de fé e de amor por Jesus. É só seguir @_mariliag e @gustavobalieiro. E, se você curte podcast, confira o Conflictu, onde você pode ouvir o Thales, que é um estudioso, e também mantém sua posição como cristão. A conta profissional dele no Twitter é @conflictucast.

Quero deixar claro para vocês que meu distanciamento da religiosidade não se deve à minha orientação sexual. Para quem não está aqui há muito tempo, eu nem sabia que era gay quando deixei a Igreja. Pouco mais tarde, Deus foi essencial para eu abraçar minha orientação sexual. Minha posição espiritual presente tem muito mais a ver com meus estudos bíblicos do que com minha sexualidade.

Enfim, espero que sintam meu amor por vocês aqui. Porque eu sinto o seu. Esse é meu jeito de dizer que você não precisa deixar de ser cristão para ser homossexual. Que ser verdadeiro a respeito da sua identidade, que ser íntegro e autêntico jamais será um ato pecaminoso. O Diabo é o pai da mentira. Ele não se associa com quem tem a coragem de sair da escuridão do armário para a luz da verdade. Deus conhece sua orientação desde o princípio. E ele não tem amado e aceitado você totalmente desde então? Alguma vez ele acusou você por amar quem você ama? Não tenha medo. Você não está sozinho. Deus é amor.

PS: Se isso foi importante para você, lembre dos seus amigos cristãos LGBTQI+. Envie para eles como puder.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s