Por que criticam sua desconstrução

Semana passada, recebi um comentário no meu Instagram. Daqueles que eu queria que não me afetassem mais. Mas nem sempre é desse jeito. Vou parafrasear, porque não lembro as palavras exatas.

Não entendo essa desconstrução que você está enfrentando. Ainda mais por você discordar de coisas que são verdades absolutas para mim. Só não demore para voltar. Estou aqui na torcida para que enxergue o Verdadeiro de novo.

Esse comentário super bem intencionado e carinhoso carrega um monte de coisa que todo desconstrucionista engole uma vez ou outra. Resolvi mostrar para vocês o que está por trás de mensagens desse tipo, que são gatilhos para quem está traumatizado pela religião. Mais especialmente, pelos religiosos. Venha comigo para perceber que, quando alguém critica sua desconstrução, está falando mais dele próprio do que de você.

Não entendo

Essa frase é a parte mais pura do discurso. Quem não desconstruiu não tem condições de compreender quem abandonou suas crenças, seu grupo religioso, seu estilo de vida, seu círculo social, e até sua fé ou seu deus. Essas coisas são pilares para as pessoas que ainda se encaixam na religião. Elas não podem nem imaginar sua existência sem o que deixamos para trás.

Com algum esforço, esse pessoal poderia nos dizer algo mais construtivo. Por exemplo: “Eu gostaria de entender a sua desconstrução.” Mas não existe uma curiosidade; apenas horror. A pessoa que vem avisar que não entende acha que está preocupada com a gente. Na verdade, está preocupada porque observar nossa jornada desperta muitos dilemas com os quais ela não sabe lidar.

Ellen Page e Leonardo DiCaprio em A Origem — Warner, 2010

Verdades absolutas

Essa expressão é muito importante para a religião cristã, mas pouco expressiva para cientistas, agnósticos, ateus, e até mesmo para pessoas de outras tradições religiosas.

Lembre disso. Quando uma coisa é absoluta, fica impossível questioná-la. Ninguém dá bola para quem confronta um absoluto. Essa pessoa não incomoda; ela é lunática. Mas nós, quando desconstruímos, causamos comoção. As pessoas ficam irritadas ou tristes. Isso só acontece porque se dão conta de que sua crença não é à prova de balas.

Absolutas para mim

Se uma verdade é absoluta, ela não pode ser relativa ao indivíduo. Tem que ser absoluta para todos ou não é absoluta. Alguém sabe o que significa a palavra “absoluto”?

Definição do Google

“Como você pode questionar uma coisa que é verdade absoluta para mim?” Isso é o que a pessoa diz. Mas o que vai na sua mente e ela não consegue exprimir é o seguinte: “O que eu vou fazer agora que percebi que a verdade em que eu acredito pode ser condicionada a diferentes perspectivas? Como eu lido com a descoberta de que aquilo que considero verdade não é absoluto?”

Não demore para voltar

Se a gente voltasse à nossa antiga realidade, essas pessoas se sentiriam aliviadas. Em parte, porque gostam da gente e acham que isso é o melhor para nós. Mas principalmente porque sentiriam sua crença validada. Seu pensamento seria mais ou menos assim:

“Eu sabia que eu estava certo. Ufa! Agora não preciso mais pensar em todas aquelas perguntas. Essa pessoa questionou tudo e acabou voltando. Fiz bem em nunca sair daqui. Eu sabia a verdade esse tempo todo.”

Uma coisa que nos incomoda nessa frase carinhosa? Para dizer isso, a pessoa precisa supor que a gente está só passando por uma fase. Isso é muito irritante, porque faz a gente sentir nossa experiência desprezada. Estamos num processo decisivo, doloroso, desgastante, por perseguir a verdade a todo custo, e olham para a gente como simples adolescentes desorientados.

É claro que uma parte de nós pensa que seria fácil sacudir os ombros. “Dane-se o que pensam. Eu sei quem eu sou. O que me importa se reduzem uma experiência que nem podem compreender?”

O problema é que essas frases costumam vir de pessoas que conheceram nosso compromisso com a Igreja, com a Bíblia, com sua comunidade. Eram testemunhas da gravidade da nossa entrega. Agora sentimos nosso sacrifício por essas pessoas questionado.

A parte de nós que não consegue reagir de maneira lógica e casual, a parte que sente, pergunta em silêncio: Depois de toda a seriedade com que você me viu servir você e sua comunidade no ministério, acha mesmo que eu perdi a cabeça? Ou você nunca me levou a sério?

Veja o Verdadeiro

Desconstruir é reconhecer que não sabemos a verdade. Nem temos ideia se existe uma que seja fundamental. Dá medo, mas é libertador, porque nos tira a ilusão de saber mais que todo mundo e de que precisamos ter todas as respostas. No processo, nos tornamos vulneráveis diante do universo de incertezas em que todos estão e ficamos mais abertos para as perspectivas mais diversas. Isso aumenta nossas chances de alcançar conexões significativas com outras pessoas.

Para isso, pagamos um preço alto. Tão alto, que a gente às vezes fica sozinho, exausto, apavorado, ansioso, depressivo, e sem esperança. Mas continuamos. Porque vale a pena ser corajoso e ajudar outros no caminho. É um trabalho enorme pela simples recompensa de se humanizar e abraçar outros humanos, estejam onde estiverem em suas jornadas.

Já que ninguém sabe a verdade, entendemos que toda experiência é válida e deve ser respeitada. O que começa num instinto egoísta de autodescoberta costuma terminar numa disposição altruísta e numa atitude muito humilde. Então tem poucas coisas que nos deixem com mais raiva do que a presunção de quem diz “Eu sei a verdade, você não”.

“Veja o verdadeiro” e “Volte para onde estou” significa “Sou iluminado e você está enganado. Estou no lugar certo, e você está perdido”. Muitas vezes sem essa intenção, quem não desconstruiu diz tudo o que precisa para invalidar nossa experiência. E isso não apenas é ultrajante, como vai contra tudo pelo que estamos lutando em nós mesmos.

Eu não entendo de novo

Por que resolvi comentar tudo isso com vocês? Pelo mesmo motivo de eu sempre escrever. A gente se identifica na nossa jornada de desconstrução e se sente menos sozinho. Por que eu não respondi tudo isso para a pessoa que deixou aquele comentário no meu Instagram? Porque a consequência de acreditar que sua crença é a verdade absoluta é não entender quando alguém explica que você está errado.

4 comentários

  1. Esse processo de desconstrução e confrontação da fé podem gerar muitas coisas positivas, como experimentar novas coisas e novas crenças, conhecer a visão daqueles que não fazem parte de nosso antigo grupo. E caso deseje retornar para onde estava antes, nunca será mais o mesmo, voltará mais sábio e com mais justificativas que a fé cega não é capaz de nos explicar.

    1. Total, Juliano! Super concordo. E é muito legal descobrir outras perspectivas sobre a vida. Um abração!

  2. Poxa mano, parabéns me identifiquei quando disse sobre se sentir sozinho, isso é algo desgastante de mais! Não se trata de não ser grato pelas pessoas que já estão em nossa volta, mas a proporção diminui drasticamente, inclusive quando se faz parte de um ministério e é atuante. A vida comum se torna tão comum, que perde a graça, porém o processo de ressignificação de tudo isso é difícil e ao mesmo tempo recompensador. Ter pensando firme contra a religião é complicado.

    1. Concordo total, mano! Muita gente que passou por esse processo antes da gente costuma relatar a mesma coisa, mas que acabaram criando um novo círculo social, mais saudável que o primeiro. To à procura disso, e acho que a gente vai encontrar. Abraços!

Deixe uma resposta para Juliano Cancelar resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s