Antibíblico, eu?

Muitos cristãos rejeitam a teoria da Substituição Penal porque não podem conciliá-la com a natureza de Deus conforme revelada por Jesus. Mas é importante lembrar que, embora possamos tirar uma noção de Substituição Penal a partir de certos textos bíblicos como Isaías 53 e II Coríntios 5, dentre outros, também é possível tirar dúzias de outras teorias da Bíblia, inclusive desses mesmos textos.

Precisamos reconhecer que costumamos ler nossa própria teologia na Bíblia. A teoria da Substituição Penal, por exemplo, tem apenas 500 anos. Sua teoria-mãe, a da Expiação, tem 800 anos. Antes disso, embora circulassem ideias sobre substituição, ainda não existia uma teoria completamente desenvolvida. Então, embora isso não signifique que tais ideias não sejam verdadeiras, quer dizer que o Cristianismo sobreviveu muito bem durante 1.200 anos sem nenhum conceito de sacrifício vicário. Sem falar dos grupos cristãos que jamais aceitaram essas teorias nos últimos dois mil anos (do nascimento do Cristianismo até os dias atuais).

O conceito da cruz é multifacetado, e o que eu faço é expor essa natureza multifacetada. Eu apresento diversos aspectos diferentes que contrastam com a visão única que a maioria dos cristãos tem. Infelizmente, o aspecto ao qual eles mais estão apegados é o que está mais enraizado em coisas que Jesus jamais tolerou, mas contra as quais se pronunciou abertamente: a ira e violência de Deus.

Jesus, vez após vez, distorce, cita erroneamente, muda, readapta, contextualiza as Escrituras para destacar como Deus é antiviolento e não-irascível. Ele faz isso para mostrar que Deus não tem interesse em sacrifícios. Então, para mim, retratar a morte de Jesus na cruz como resultado de Deus precisar de um sacrifício é um trabalho de exegese muito pobre.

Você deve ter uma opinião hermenêutica muito diferente da minha que não vai permitir que você descarte a opinião da humanidade sobre o que está nas Escrituras, mas que vai considerá-la igual à opinião de Deus, já que “está na Bíblia”. Em última instância, a menos que sua hermenêutica mude, você não poderá aceitar a minha visão. E tudo bem. Mas você vai relutar com o que eu ensino e achar “muito antibíblico”.

*Resposta adaptada de Phil Drysdale a um comentário no Instagram. Tradução livre: Mitch.