Pediram sua opinião?

Um amigo meu fez uma publicação anteontem que achei absurda. Eu não apenas discordo daquilo. Achei ridículo, mesmo.

Acessei a sessão de comentários. Pensei em três maneiras diferentes de começar uma mensagem. Desisti de todas. Fechei o aplicativo. Não comentei nada com ele nem vou comentar.

Esse meu amigo tem um público. Essa galera tem uma linguagem e espera do meu amigo certo tipo de publicação. É com eles que meu amigo está se comunicando e é a opinião deles que mais interessa para ele quando publica alguma coisa.

Outra ideia me ocorreu. Como a publicação podia ofender bastante gente além de mim, provavelmente haveria alguém sem educação mandando mensagem inbox para o meu amigo. Comentários inconvenientes, de gente que não concorda com ele e vai expressar isso da pior maneira possível. Imagina se ele vê que eu mandei algo. Abre a mensagem esperando uma coisa positiva para amenizar o cansaço de ler as pessoas que o perseguem e, em vez disso, me descobre discordando. Isso o faria se sentir péssimo e é possível que fosse difícil para ele separar o tom da minha crítica do tom dos chatonildos de plantão.

Eu não concordo com meu amigo sobre aquela publicação. Mas ela não era para mim. E ele é meu amigo. Se formos falar sobre algum ponto de divergência entre a gente, provavelmente o faremos em pessoa, civilizadamente, com o mesmo respeito e carinho que sempre compartilhamos.

A internet, por ser um espaço democrático, dá a todos o poder de se expressar. Mas somente um cretino acha que precisa se expressar o tempo todo. O livro de Provérbios fala coisas desse tipo um monte de vezes. Existe hora de calar.

Esta semana, um colega meu fez uma publicação no Instagram que nem era polêmica. Mas um tio dele evangélico, claro, fez questão de demonstrar que não concordava. Dentre as pérolas, estava essa frase: “É por isso que você está sozinho”.

Isso é que é crueldade. Até uma anta como esse sujeito se passaria por sábio se tivesse simplesmente calado a boquinha. E você, imagina que meu colega precisava de mais algum comentário inbox dizendo “Olha, eu te amo muito, mas não concordo com você”?

Eu escolhi que não deixaria a publicação do meu amigo me ofender. Não encheria o saco dele com uma discordância que não vai mudar a vida dele nem a minha. Eu resolvi ter compaixão e agir como um adulto. E aposto que você sente que mais pessoas precisam fazer o mesmo.

“Mitch, as pessoas têm o direito de discordar.” E eu não sei? Uma coisa que eu sempre digo para o meu público é que não precisamos concordar em tudo. Mas isso não significa que a gente precisa ficar caçando maneiras de se ofender quando publicam algo que confronta nossa opinião. Não quer dizer que toda publicação online é um convite para a gente ser chato. Discordar é direito de todo mundo, mas ter prazer em discordar não é uma virtude. É o que faz um trol.