Eu sou a Igreja se não vou à igreja?

Você pode dizer que está andando no Espírito, mais feliz do que nunca, consciente do amor e da presença de Deus na sua vida como jamais esteve. São notícias muito boas, que costumam ser respondidas com “Puxa, que legal! E que igreja você frequenta?” Se você disser que não está vinculado a uma denominação específica, todo o seu depoimento vai por água abaixo. Eu mesmo já torci o nariz para pessoas que me disseram ter uma vida espiritual boa, mas que não frequentavam uma igreja local. Somos treinados para chamar de desviados, não os que se afastam do Caminho, mas os que não se encaixam no sistema. É como se fosse impossível andar com Deus sem uma igreja. Coitado, então, de Enoque. Coitados dos profetas do Antigo Testamento. E Jesus, gente?! Ele mesmo não ia à igreja, pobrezinho.

Mas a Bíblia diz!

Você sabia que em nenhum momento a Bíblia diz que o cristão deve frequentar os cultos de domingo? O livro de Hebreus é sempre citado para encorajar as pessoas a fazê-lo, mas, quando seu autor escreveu sobre não deixar sua congregação, a igreja evangélica como conhecemos hoje não existia. Os cristãos se reuniam de casa em casa, para comer juntos, orar e dialogar sobre os princípios de sua fé. Se fossem judeus convertidos, também se encontravam aos sábados nos pátios das sinagogas. Mas isso não tinha muita coisa a ver com nossos cultos dominicais do século XXI. Para ser sincero, também não se parecia com nossas células, que costumam ser apenas uma repetição diminuta do cronograma dominical. O que Hebreus e o Cristianismo consideram central não é participar de uma liturgia, mas ter comunhão rotineira com outras pessoas que dividam a fé e a vida com a gente.

Mas a igreja local não é o lugar ideal para isso?

Em várias igrejas onde servi, perguntei quantas pessoas tinham laços profundos com alguém da casa. Você ficaria chocado. Num grupo de cem pessoas, três costumam levantar a mão. Quase todas as pessoas admitem não ter sequer um amigo com quem possam ser elas mesmas dentro da denominação ou com quem tenham contato fora do templo. Ninguém com quem contar integralmente. Isso não quer dizer que uma igreja local não seja boa e importante para muitas coisas, nem anula seu potencial para incentivar relacionamentos. Apenas indica que, culturalmente, alguma coisa não está muito bem ajustada na maioria das nossas congregações.

Eu não vou à igreja; eu sou a Igreja

Esse jargão costuma ser um hit entre os cristãos. Desde que você esteja do lado de dentro. Não é super engraçado? Assim que alguém diz que não “congrega”, não aceitamos mais que ele “seja a Igreja”. Condicionamos a união transcendental ao Corpo de Cristo ao simples ato físico de frequentar reuniões. Nosso jargão, na verdade, deveria ser “Eu não apenas vou à igreja; eu sou a Igreja. Mas só porque eu vou à igreja.” A ironia é linda.

I’m okay!

Desde que parei de frequentar a igreja, encontrei um espaço muito maior dentro de mim para ser a Igreja. Isto é, para ser autêntico, humano, vulnerável, franco, e para reavaliar minha fé e minha vida. Encontrei maior liberdade para me conectar a outras pessoas. E esse é o testemunho que tenho ouvido de muitos outros cristãos que também são rotulados de forma pejorativa como desigrejados. Eles estão bem. Estão num estado espiritual e emocional melhor do que antes, quando do lado de dentro. Estão provando com mais facilidade e maior clareza o amor de Deus. Inclusive porque continuam em comunhão com outros santos, de dentro e de fora das denominações, em relações mais leves e menos preconceituosas. Não significa que esse seja o caminho para todos. Só quero dizer que ser Igreja é algo superior à mera assiduidade ou inclusão no método. Ser Igreja é receber uma nova vida e dividi-la com os outros conforme esteja ao seu alcance. Talvez a Igreja seja muito maior e diversa do que nos contaram.

4 comentários

    1. Às vezes, o diferente dá medo, mesmo. Mas é como uma montanha-russa pela primeira vez. Quando o medo passa, a gente percebe que foi incrível e a gente precisava ter feito. :)

  1. O melhor é que estamos sempre aprendendo, e mudando, e não há nada de errado nisso, é ser humano, é estar aqui nesta terra. Um dia saberemos, de fato. Coragem para viver uma vida plena hoje, repleta das minhas escolhas e não da covardia de quem está preso aos padrões, aos julgamentos, ao medo. Coragem de nao cair na esteira da produção de seres iguais, aceitos pela maioria, vistos como vencedores pela sociedade. Coragem para não retroceder quando quem eu queria por perto se afasta por não me entender. Saber que posso ouvir a Deus e agradá lo mesmo se pessoas acharem que não.

    1. Tudo muito verdade, Alana! Um preço que vale a pena. Obrigado pela visita e comentário! :)
      #ContinueCorajosa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s