Seu Deus é um sociopata?

Dentre outros sintomas, um sociopata apresenta desprezo pelos sentimentos dos outros e pouca consciência de moral. Parece o Deus em que muitos cristãos acreditam.

Você já deve ter ouvido o ditado “Os fins justificam os meios”. Pessoalmente , não consigo imaginar um Jesus que partiria desse pressuposto. Não dá para ser amor e colocar resultados acima de pessoas ao mesmo tempo.

Existe um enorme abismo entre converter a dor em algo positivo e causar dor com fins positivos. O primeiro é redentor. O segundo, maquiavélico.

Cristãos acreditam que Deus usará todas as coisas que nos acontecerem para o nosso bem. Até aí, parece uma boa pessoa. Mas não surpreende que a maior parte dos cristãos também imagine um Deus que testa pessoas sem o consentimento delas e que as faz sofrer para lhes dar lições?

A Bíblia parece reforçar essa ideia. De que Deus provou esse e aquele cara. De que o sofrimento da Fulana foi obra divina para amadurecê-la. Mas um olhar mais atencioso sobre as Escrituras coloca em cheque a possibilidade de Deus fazer mesmo coisas desse tipo.

Uma vez, Jesus disse que ninguém daria uma pedra ao filho que pediu pão. E que, se nós, que somos maus, fazemos coisas boas pelos nossos filhos, deveríamos esperar que Deus fosse ainda melhor para conosco como nosso pai.

Você seria capaz de testar seu filho sem ele saber? De dissimular, criar uma cena, inventar uma história, fazê-lo acreditar que estava tomando um caminho honesto, quando, na verdade, tudo não passava de um teste? Você não acha uma tremenda canalhice quando descobre que alguém estava testando você em secreto? Talvez seja bom pensar se o seu Deus é mesmo o tipo de pessoa que testa os outros. Que os “coloca no deserto”, os faz “passar pela prova”, os sujeita à “tribulação”. Não soa como Jesus.

Você, como pai, usaria alguma coisa ruim que aconteceu com seu filho, para lhe ensinar algo importante? Isso é legal. Mas você seria capaz de armar uma armadilha para o seu filho sofrer porque ele não aprendeu de outra forma? Dizem que Deus trabalha com o famoso “Se não vem pelo amor, vem pela dor”. Coisa que, claro, não está na Bíblia. Você causaria dor ao seu filho para ele amadurecer ou para qualquer outro fim positivo? Meu palpite é que o seu sofrimento, mesmo que Deus possa transformar em algo positivo, jamais foi a intenção dele. Muito menos causado por ele.

Cristãos usarão versículo atrás de versículo para reforçar as ideias que estou questionando. Mas, no fim das contas, o assunto mais importante aqui não é o que a Bíblia diz nem se ela é inerrante. A questão é se você acredita que Deus é um sociopata ou se ele é mesmo bom.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s