Deus não é ex de ninguém

HAHAHAHAHAHAHAHAHAQHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAAHAHAHAHAHAHHA

Tudo que a gente quer é alguém que não vá embora. Não por causa de um contrato ou obrigação. Nem por falta de opção. Mas por que nos ama.

Nossa experiência está permeada de casos de abandono. Pais que foram embora porque não nos desejavam. Irmãos que foram embora porque não se importavam. Amantes que nos deixaram por causa de um conflito repetitivo. Amigos que partiram sem jamais sabermos o porquê.

A coisa mais velha do mundo é fugir de Deus e tentar se esconder após pecar. É aquela sensação de que dessa vez não existe perdão, e que o próprio Deus não quer mais nossa companhia. Adão fez isso, nós fazemos isso. Imaginamos Deus como nossos ex-namorados, ex-melhores amigos, ex-familiares. Como uma pessoa que não sabe como reagir diante da ferida e da decepção, a não ser com rejeição e abandono.

Quando assistimos ao retrato de uma amizade ideal em filmes e seriados, somos cativados por aquele amigo que permanece em defesa do outro apesar de não concordar com ele. Somos enternecidos por aquele amigo que diz “Eu sei que você pisou na bola, mas estamos nessa juntos, e vamos passar por isso juntos. Você é um idiota, mas é o meu idiota. Meu idiota favorito. Pensou o quê? Que a gente nunca mais ia se falar só porque você partiu meu coração? E por que a surpresa com minha atitude? Amigo é para essas coisas”.

Amigos que não estão presentes, não reagem bem aos momentos difíceis, e que vão embora não são bons amigos. Talvez nem amigos sejam. Mas o Espírito Santo é diferente. Ele é um companheiro eterno que passa pelas dificuldades da amizade do único jeito que um verdadeiro amigo sabe fazer: junto.

Aquele amigo de filme que a gente não encontra em nenhum lugar? É o Espírito Santo. Não apenas presente quando a gente corresponde às expectativas e tem a conduta ideal, mas presente na vida – nos altos e baixos, com um amor que não é afetado ao descobrir nossas falhas e fracassos, mesmo que recorrentes.

Um bom esposo não resolve tolerar a mania irritante da esposa só até certo ponto. Ele não vai embora quando ela “passa dos limites”, porque fizeram um compromisso eterno. Jesus? É um esposo que não assina papéis de divórcio.

Um bom pai não decide não olhar mais para o rosto do filho quando este admite que cometeu um crime, por pior que seja. Deus Pai? Ele nos visita na cadeia.

Um bom amigo não vai embora por nada nesse mundo. Ele ama para sempre. O Espírito Santo? Ama você agora mesmo. E vai amar assim mesmo da próxima vez que você falhar.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s