Não seja obcecado por Jesus

FullSizeRender

Quem já amou conhece a sensação. Pensar na pessoa amada faz a gente sorrir. Sempre queremos estar perto de quem a gente ama – nos melhores e piores momentos. Amar alguém para valer nos dá uma perspectiva diferente da vida, e faz a gente sentir que nem tudo está tão ruim assim. Traz esperança. Pode até nos ajudar a ser pessoas melhores.

A obsessão é diferente. A pessoa obcecada não se sente elevada pelo objeto de seu apego. Em vez disso, ela se sente atormentada. Ela deseja, sim, com ardência certa coisa, mas esse desejo a persegue e consome.

O amor traz alegria. A obsessão rouba a alegria. Daí é fácil perceber que a maioria dos cristãos bem intencionados que conheço enfrenta a mesma luta. A tentação de trocar o amor por Deus por uma obsessão por ele.

Pense nos cristãos dedicados que você conhece. Talvez você mesmo. Eu posso falar por experiência própria. A gente chega a lembrar de Deus o dia todo, mas é com tanto pesar! Nosso pensamento sobre Jesus não nos faz sorrir, às vezes. Em vez disso, ele tira o sorriso do nosso rosto.

Os crentes que pensam que amam Jesus e que realmente estão querendo amá-lo costumam caminhar como eu já caminhei também, e como ainda sou tentado a caminhar. O tempo todo se autoavaliando criteriosamente, sem trégua.

Eu lembro bem a sensação de tentar com todas as forças agradar a Deus ao longo do dia. Isso, para mim, significava não aproveitar nem o dia nem as pessoas ao meu redor. Eu ficava o tempo todo concentrado na possibilidade de falhar com Deus, de entristecê-lo, de afastá-lo. E pensava que isso era amor. Não era. Era obsessão. E, para encorajar você, preciso dizer que muitas vezes não era nem obsessão por Deus, e sim por alcançar minha ideia de santidade, de constância e de perfeição.

E quando a gente tropeça? Criamos nossas próprias autopunições, tão severas quanto possível. Assim construímos uma rotina na companhia da vergonha, da culpa, e do medo. Para você, essas três palavras combinam mais com o dia a dia de alguém apaixonado ou de alguém obcecado?

Jesus não quer ser sua obsessão. Ele quer ser o seu amor. E o verdadeiro amor, você sabe… Lança fora todo medo.

Tenho pensado muito em como, tentando ser espiritual, eu me tornei rígido comigo mesmo, num estilo de vida autopunitivo. Como, tentando agradar a Deus, vivi tantos dias infeliz, em estado de alerta, ansioso, triste pelos meus pecados… Os mesmos que Deus disse, em aliança, que esqueceria. Tenho pensado muito em como isso confronta o que a Bíblia diz: o Reino de Deus é paz, justiça e alegria no Espírito Santo.

Uau. O Reino de Deus não é culpa, medo, e vergonha. Não é condenação, autoacusão, autopunição, e a iminência de ser abandonado por Deus caso a gente “passe dos limites”. O Reino de Deus é paz. É alegria. “A luta da fé”, nas palavras de John Piper, “é uma luta por alegria”.

Como você tem vivido? Você ama Deus ou é obcecado por ele? Você anseia por Jesus ou está obcecado por alcançar a perfeição? Se você tem vivido uma obsessão como a que eu já vivi e quer trocar isso por amor, lembre-se que, segundo João, nós amamos porque experimentamos o amor de Deus. E que o amor de Deus, segundo Paulo, foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo, que o Pai já nos deu.

Permita-se provar o amor de Deus que flui sem parar no seu interior e do seu interior, pelo Espírito Santo. O amor que está agora ao seu alcance. Permita-se ser amado, e fique livre do medo.

2 comentários

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s