Tantas regras! Cadê as boas notícias?

FullSizeRender.jpg

Nós comparamos o que a Bíblia diz com nossa realidade cotidiana. De um lado, as Escrituras dizem que sou como Jesus. De outro lado, eu digo, olhando para o espelho, que deve haver algo errado nessa declaração. Eu duvido dela. Desesperado, tento me barbear, pintar meu cabelo, seguir qualquer regra moral possível para que meu reflexo combine com o que a Bíblia diz ser meu verdadeiro eu. E vou ficando cada vez mais parecido com um papagaio, e menos com Jesus.

Sabe qual é o obstáculo central entre o que a graça diz e a sua experiência do que a graça diz? É a sua crença. Já que a Bíblia diz que provamos a graça mediante a fé, nosso pior inimigo deve ser a incredulidade.

Deus diz que sou santo, mas eu duvido. Ele diz que sou amado, mas duvido. Ele diz que tenho a plenitude de Cristo, mas eu insisto que sou um pecador irremediável. E assim me torno ansioso, distraído, irritado, desencorajado, desesperado, depressivo, ativista, e pecador. Pois o homem é como acredita em seu coração.

Nós todos encontramos dificuldade em trocar uma vida de luta moral por uma vida de confiança total nas palavras, no poder e no amor de Deus. Mas esse é exatamente o convite do Evangelho. É disso que está falando a famosa frase “O justo viverá pela fé”.

Imagine comigo. Israel, dias da Igreja Primitiva. Alguns apóstolos se aproximam para ensinar o povo de Deus, que vive debaixo da Lei há milhares de anos, tentando se aperfeiçoar por meio dela sem sucesso algum.

“Temos boas notícias!”, os apóstolos gritam. “Deus fez uma nova aliança com vocês através de Jesus. Agora conhecemos a graça revelada. Basta que vocês sigam as seguintes dezenas de regras”.

Você consegue imaginar a expressão na cara dos ouvintes desse discurso? Eles provavelmente diriam algo desse tipo: “Que boa notícia é essa? Vocês devem ter inventado tudo! Regras, nós já temos mais de seiscentas. Vocês não estão trazendo novidade alguma! Não precisamos de novas regras, nem com esse nome chique de graça. Deem o fora daqui, que já sabemos como nos aperfeiçoar pelo que nosso pai Moisés nos ensinou”.

Se você ler o Novo Testamento, não vai encontrar essas boas-novas fajutas. Vai encontrar revolução. O discurso dos primeiros apóstolos era mais ou menos assim: “Pessoal, sabemos que vocês não conseguem cumprir a Lei. Ninguém consegue. Então troquem o fardo de vocês por outro: em vez de confiarem em seu esforço próprio para seguir a Lei, confiem em Jesus. Confiem que ele cumpriu a Lei no lugar de vocês, sofreu a condenação dela no lugar de vocês, para que vocês possam viver de outra forma – não mais tentando ser perfeitos. Deus pode torná-los perfeitos agora mesmo. Tudo o que vocês precisam fazer é acreditar no Filho dele”.

Isso sim é novidade! Isso sim é boa notícia! E isso é o convite da graça. Troque seu desempenho pelo desempenho de Jesus. Troque suas obras mal feitas pelo trabalho perfeito de Jesus. Troque uma vida de esforço por uma vida de confiança. Pare de tentar ser melhor, e acredite que você é perfeito pela graça de Deus. Pois o homem é como acredita em seu coração.

2 comentários

  1. Que texto! Cara, a gente força tanto ser uma coisa ou outra, quando na verdade é só ter fé para acreditar!

    1. Sim! Essa é a boa notícia do Evangelho! Viveremos pela fé em Cristo, porque é por meio dela que recebemos a graça que nos transforma! :D

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s