Cristãos verdadeiros aproveitam mais a vida

Em geral, costumamos pensar que se Jesus for interessante demais, viver aqui vai ser cada vez mais desinteressante. Faz sentido. Mas acho também que estamos encarando a paixão por Jesus de uma maneira pouco realista.

Você já se apaixonou por alguém? Não reparou que, por que estava apaixonado por aquela garota ou aquele rapaz, você tinha mais paciência com sua família do que de costume? Coisas sem graça ficavam mais engraçadas. Viver parecia mais gostoso. E não é porque você estava apaixonado por muitos aspectos da sua vida. É por que você tinha uma paixão.

Nosso medo de que amar Jesus torne a vida menos interessante não faz sentido. A vida ganha tantas cores quando amamos aquele adolescente que mal conhecemos e que, às vezes, nem nos corresponde! Estar apaixonado por Jesus, essa pessoa fascinante que não apenas nos corresponde, mas que nos ama além da imaginação, é algo muito mais promissor.

É certo que algumas coisas vão perder o valor para nós quando nos aproximarmos dele. O pecado, por exemplo, vai deixar de ser interessante, simplesmente porque nós abrimos mão facilmente de algo bom por algo melhor. Mas isso definitivamente não quer dizer que a experiência humana do dia a dia vai ser tediosa.

Estar apaixonado por Jesus me ajuda a encarar uma música como algo muito mais belo. A assistir a um filme com uma perspectiva muito mais significativa. A encarar meus outros relacionamentos com muito mais gratidão e generosidade. Em outras palavras, se eu realmente fizer de Jesus minha única paixão, eu serei a pessoa mais apaixonada pela vida que existe. Ao permitir que Jesus se torne mais valioso do que o mundo inteiro, o mundo inteiro se torna mais valioso do que jamais seria se eu não estivesse apaixonado por Jesus.

Isso pode parecer paradoxal, então deixe-me explicar melhor. Enquanto eu permito que coisas compitam com Cristo pelo meu coração, estou dividido. Nessa condição, eu não desfruto nada em plenitude. Todas as minhas experiências são fracionadas, são diminuídas, são empobrecidas. Um coração cheio de paixões só sabe amar pouco. Mas um coração que tem uma paixão só aprende a amar intensamente.

Por que aproveitamos pouco a vida? Por que estamos extremamente insatisfeitos. Participamos do almoço pensando no jantar. Nunca estamos presentes no momento porque nosso coração está ansioso por diversos momentos que ele acha que precisam ser combinados para satisfazê-lo.

Agora, vamos supor que Jesus esteja falando a verdade e realmente possa satisfazer nosso coração de uma só vez. Qual será a consequência? Tédio? Não! A consequência é paz! Finalmente nosso coração não precisa mais correr a dezenas de fontes ao mesmo tempo, porque nele existe “uma fonte de água a jorrar para a vida eterna”. Quando estou satisfeito, não tenho pressa pelo próximo momento. Isso me torna capaz de estar presente aqui como nunca antes, e este momento se torna extremamente valioso.

Sim, o mundo, a carne e as trevas nos dizem “Cultive muitas paixões para poder aproveitar a vida. Não permita que Jesus seja sua única paixão, porque você vai desperdiçar muitas coisas boas”. Mas a verdade é exatamente o contrário! Se você cultivar muitas paixões, não vai desfrutar nenhuma como poderia. Se tiver apenas uma paixão realmente satisfatória, todo o resto da sua vida vai se tornar mais belo e melhor aproveitado.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s