Deus não está chamando você para o sacrifício

 

De repente, Pedro sobe em alguma coisa e chama a multidão. “Pessoal, aproximem-se! Eu tenho boas novas!” Em alguns segundos, gente de todo tipo cerca os apóstolos e eles começam a pregar.

“Queremos convidar vocês para uma vida nova que Jesus nos deu. Vocês podem ser mais felizes do que nunca! Sim! Viemos convidar vocês para uma vida de sacrifício! Venham se sacrificar conosco!”

Será que o Cristianismo teria se propagado pelo mundo se fosse anunciado dessa maneira? Pense só. O Evangelho começou a ser pregado aos judeus. Aquelas pessoas já conheciam o sacrifício muito bem. Elas viviam tentando cumprir a Lei de Deus, o que era totalmente impossível.

Agora, sabe quem mais conhece bem uma vida de fardos mais pesados do que se pode carregar? Os cristãos modernos. Todos nós passamos por altos e baixos. Em alguns momentos, nos sentimos ótimos porque conseguimos nos abnegar um pouquinho. Em outros, estamos aterrorizados com a nossa indisposição para o sacrifício. O que há de errado com a gente?

Se você quiser uma resposta clara, aí vai. Não existe absolutamente nada de errado com uma pessoa que não gosta de se sacrificar. A indisposição para o sofrimento não é coisa de gente carnal; é só coisa de gente, mesmo. Ninguém gosta de dor, e isso também se explica.

Deus simplesmente não criou o homem para se sacrificar. Veja os relatos do Éden por exemplo. Onde está o sacrifício na vida inicial de Adão e Eva?

Ao pensar nos grandes homens de Deus que viveram ao longo da história, você e eu podemos afirmar que eles fizeram grandes sacrifícios pessoais. Mas eu me pergunto se eles concordariam com a gente. Pelo menos sei que um deles, David Livingstone, não concordaria. Olha só o que ele disse.

“As pessoas comentam do sacrifício que tenho feito em passar tanto tempo de minha vida na África. É sacrifício fazer aquilo que traz a melhor recompensa em atividade saudável, consciência de fazer o bem, paz de espírito, e uma esperança brilhante de um destino glorioso depois desta vida? Isso não é, enfaticamente, um sacrifício. (…) Eu nunca fiz sacrifício algum.”

Este assunto é profundo demais para a quantidade de linhas que eu me proponho a escrever num texto aqui no blog. Mas deixo aberta a oportunidade para reflexão a partir do seguinte.

Os crentes que encaram o Cristianismo como uma vida de sacrifício estão sempre desencorajados, frustrados, nervosos, cansados, e sobrecarregados. Onde está o “Eu os aliviarei” de Jesus? Por outro lado, os cristãos que mais realizaram pelo Reino durante toda a história da Igreja sempre pregaram uma vida vibrante, prazerosa, alegre, e de descanso.

 

2 comentários

  1. Seu blog tem sido uma verdadeira inspiração para mim. Que Deus te use pra ministrar em outras vidas aquilo que seus textos tem ministrado em mim. Que a cada dia Ele cresça na sua vida!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s