Andar na luz: um segredo para a comunhão

rygo75

O capítulo um da primeira carta de João trata de como manter comunhão com Deus e com nossos irmãos. A dica do apóstolo é andar na luz. Esse conceito pode ter várias interpretações, mas acredito que duas são as mais básicas e práticas.

Primeira conclusão

Em primeiro lugar, João diz que Deus é luz e nele não há treva alguma. A conclusão óbvia é que andar na luz significa comportar-se de acordo com o caráter de Deus.

Se Ele é luz, a treva é o oposto dele. Assim, se Deus, sendo luz, é sincero, falsidade é treva. Se Deus, sendo luz, é santo, pecado é treva. O que João está ensinando é que você não pode ter comunhão com Deus e esconder coisas obscuras na sua vida ao mesmo tempo.

Ter comunhão é ter coisas em comum. Já que não existe treva em Deus, a pessoa que tem coisas em comum com Ele não vai andar em trevas também. O que se espera de quem alega ter comunhão com Deus é que essa pessoa será transformada para andar de acordo com o caráter dele.

Segunda conclusão

Em segundo lugar, andar na luz significa viver honestamente. Isso não é tão fácil de enxergar a não ser que a gente olhe bem para o contexto.

João diz que quem afirma não pecar não tem a verdade em si. Quer dizer que essa pessoa já não tem algo em comum com Deus, porque a verdade está nele e Ele diz que todos nós pecamos.

A comunhão com Deus, então, é para quem admite a sua condição diante dele. Deus não gosta que andemos por aí fingindo ser santos. Ele prefere que concordemos com Ele quando nos estende a mão para nos perdoar, e que digamos “Sim, Senhor – eu preciso muito do seu perdão”.

Fingir perfeição não nos afasta somente de Deus, mas também de nossos irmãos. Por isso João diz que, se andarmos na luz como nosso Pai está na luz, temos comunhão uns com os outros. Note que aqui a luz não é somente um símbolo do caráter de Deus, mas de um “lugar onde Ele está”, de um posicionamento que Ele adota. Isso quer dizer que você, eu, e todos os cristãos teríamos algo em comum se adotássemos o mesmo posicionamento do nosso Pai. E que atitude é essa que Ele tem e nós podemos ter também? É a de dizer sempre a verdade, de deixar as coisas às claras, sem nada escondido – ou seja, andar na luz.

É nesse contexto que João menciona a confissão. Vale destacar que ele nem diz que devemos confessar nossos pecados a Deus, especificamente. Isso porque nosso Pai espera que sejamos sinceros não somente com Ele, mas com os nossos próximos também. O que a Palavra nos ensina é que teremos comunhão com Deus e com nossos irmãos se vivermos honestamente, reconhecendo que somos tão falhos e carentes dele quanto qualquer outra pessoa. E ter comunhão com Deus, que é luz, nos transformará, de forma que não haja mais trevas em nós assim como também não há nele.

[Photo: Gregôry]

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s