Mas e se eu perder tudo?

 

Sempre que eu tentava fazer uma oração de entrega, tinha a sensação de que não conseguia abrir mão de tudo. Você já sentiu isso?

Você quer se aprofundar no seu relacionamento com Deus. Mas, quando percebe que Ele pode demandar tudo de você, sente insegurança, como se não estivesse pronto para dar um passo adiante; um passo tão sério, determinante, e sem volta.

Ouvi outro dia, não sei onde, que nenhuma transformação verdadeira acontece sem envolver uma sensação de perda. Se isso é verdade, a angústia que você tem experimentado é totalmente normal. Ninguém gosta de perder.

Como crente, imagino que você tenha um desejo de que sua confiança em Deus seja aumentada. Por isso, o sentimento de não conseguir se entregar totalmente a Ele deve estar incomodando, e acho que você quer dar um fim a ele. Foi o que aconteceu comigo, até que Deus me levou a um raciocínio bíblico simples, mas libertador.

Encare, por alguns segundos, quais são os apegos que você sente que não pode abandonar. São gostos? São hábitos? Pecados? Sonhos? Será a sensação de estar no controle da sua vida?

Bem, vamos pensar sobre isso. Quando você se converteu genuinamente, sabia o que estava fazendo. Ao decidir pelo senhorio de Cristo, você conscientemente abriu mão de tudo.

Os bloqueios que têm nos assustado tanto e que parecem nos impedir de avançar com Deus são imaginários. Não existe nenhuma barreira hoje em sua vida que não tenha sido entregue a Jesus e derrotada por Ele há muito tempo.

É assustador dar um passo sem volta? Com certeza. Mas a verdade é que você já deu esse passo. Se você realmente se converteu, não há mais volta para você e isso é uma ótima notícia. Você não tem mais nada a temer e nada e perder, porque você já perdeu tudo. Voluntariamente!

Para vencer o medo de se entregar totalmente a Deus, deveríamos nos lembrar de que já não somos donos de nada. Já somos dele. Ele é o Senhor.

Não há nada de que você não possa abrir mão. Cristo já tem tudo. O que nos resta é abandonar a ilusão de que alguma coisa ainda possa nos pertencer, nos dominar ou resistir. Você e eu somos livres. Tão livres quanto pessoas mortas.

“Portanto, fomos sepultados com ele na morte por meio do batismo, a fim de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova. Porque morrendo, ele morreu para o pecado uma vez por todas; mas vivendo, vive para Deus. Da mesma forma, considerem-se mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus” (Romanos 6.4, 10-11).

 

13 comentários

  1. Ótimo texto cara, digamos que não sou um leitor dos mais assíduos do seu Blog mas, todas as vezes que venho até ele Deus fala muito comigo.
    Que Deus continue te usando para tocar vidas.

    Abraço

  2. Aaaah muito bom!
    Me fez pensar na ideia de herança com Cristo!
    Herdamos tbm a morte p/ herdar ressureição! Entregamos nosso direito de decidir, p/ viver a Entrega da cruz com Cristo e através dEle! Já entregamos tdu mesmo! Tão livre como uma pessoa morta! rs… Foi a melhor comparação que já ouvi até hoje de uma vida cristã sincera e entregue! Mto benção esse texto!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s